ABPA: Exportações de carne suína do RS e PR podem crescer até 35% com novo status da OIE

Principais
Segundo avaliação da entidade, os embarques de carne suína nos dois estados podem ter uma alta 10% ainda este ano

As exportações de carne suína do Paraná e do Rio Grande do Sul podem ser incrementadas em até 35% no próximo ano, após os dois estados receberem o certificado de zona livre de aftosa sem vacinação. A avaliação é da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).Segundo a entidade, os exportadores de carne suína paranaenses e gaúchos podem aumentar suas vendas acima de 10% ainda este ano, podendo chegar aos 35% em 2022, quando comparado aos volumes embarcados em 2020. “Isto, com a possibilidade de embarques de carne suína com osso e miúdos para o mercado chinês – atual principal importador dos produtos brasileiros”, diz o presidente da ABPA, Ricardo Santin.No caso do Rio Grande do Sul, há potencial para alcançar até 293 mil toneladas de carne suína neste ano, gerando receita de aproximadamente US$ 715 milhões – 86 milhões a mais que em 2020. Em 2022, as vendas gaúchas poderão alcançar 350 mil toneladas, com uma receita cambial estimada de US$ 850 milhões. Como referência, em 2020 os embarques totais do estado alcançaram 261 mil toneladas com uma receita de US$ 629 milhões.